Já comprou seu livro hoje? Clic aqui!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Estamos informando e não formando





  Não estamos educando a emoção nem estimulando o desenvolvimento das função mais importantes da inteligência, tais como contemplar o belo, pensar antes de reagir,expor e não impor idéias, gerenciar os pensamentos, ter espírito empreendedor. Estamos informando os jovens,e não formando sua personalidade.
   Os jovens conhecem cada vez mais o mundo em que estão,mas quase nada sobre o mundo que são.No máximo conhecem a sala de visitas da sua própria personalidade.Quer pior solidão do que esta?O ser humano é um estranho para si mesmo!A educação tornou-se seca, fria e sem tempero emocional.Os jovens raramente sabem pedir perdão, reconhecer seus limites, se colocar no lugar dos outros.Qual é o resultado?
    Nunca o conhecimento médico e psiquiátrico foi tão grande, e nunca as pessoas tiveram tantos transtornos emocionais e tantas doenças psicossomáticas. A depressão raramente atingia as crianças. Hoje há muitas crianças deprimidas e sem encanto pela vida.Pré-adolescentes e adolescentes estão desenvolvendo obsessão, síndrome do pânico, fobias, timidez, agressividade e outros transtornos ansiosos.
    Milhões de jovens estão se drogando.Não compreendem que as drogas podem queimar etapas da vida, levá-los a envelhecer rapidamente na emoção. Os prazeres momentâneos das drogas destroem a galinha de ovos de ouro da emoção. Conheci e tratei de inúmeros jovens usuários de drogas, mas não encontrei ninguém feliz.
    E o estresse? Não apenas é comum detectarmos adultos estressados, mas também jovens e crianças.Eles têm frequentemente dor de cabeça, gastrite, dores musculares, suor excessivo, fadiga constante de fundo emocional.
    Precisamos arquivar esta frase e jamais esquecê-la: Quanto pior for a qualidade da educação, mais importante será o papel da psiquiatria neste século.Vamos assistir passivamente à indústria dos antidepressivos e tranquilizantes se tornar uma das mais poderosas do século XXI? Vamos observar passivamente nossos filhos serem vítimas do sistema social que criamos?O que fazer diante desta problemática?


Augusto Cury- Pais brilhantes, Professores fascinantes

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...