Já comprou seu livro hoje? Clic aqui!

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Mulherzinha


                Esta história é da mulherzinha. O marido sempre a tratava assim."Minha mulherzinha..." Tinha um enorme carinho pela mulher.Olhava para ela como se olha para uma criança, ou para um cachorrinho.Sua mulherzinha.Ela às vezes tentava reclamar, reagir, e então ele ria muito.Virava-se para quem estivesse perto e dizia:
               _Viram só? Ela virou fera! Essa mulherzinha...
               E a abraçava ternamente.
               A mulherzinha vivia na sombra do marido.Quando tentava dar a sua opinião sobre algum assunto mais sério, ele piscava o olho, afagava a sua cabeça e dizia:
               _Não preocupa essa cabecinha linda com essas coisas.Vai fazer um cafezinho pra gente, vai.
               A mulherzinha se resignava. E um dia o marido chegou em casa, foi dar um beijo na sua testa, como fazia sempre, e não acertou a testa.
               _Ué, você está diminuindo de tamanho?
               Mas não esperou para ouvir a resposta.Nunca ouviu as respostas da mulher.Ela era o seu mimo.O seu cachorrinho.Naquela noite notou que a mulher realmente parecia estar encurtando. E na manhã seguinte levou um susto. A mulher estava do tamanho de uma criança.Quando a carregou pela mão ao médico, preocupadíssimo, ela já estava da altura do seu joelho.
              O médico não soube explicar o fenômeno.A mulher permanecia perfeitamente proporcionada, só menor.O marido apavorou-se. Não era apenas o fato de não ter mais uma mulher para abraçar.Ela não podia fazer as coisas que fazia antes. Levava dois, três dias para cerzir uma meia.Tinha que trazer o cafezinho xícara por xícara, pois não aguentava o peso de mais de uma. Não podia mais cozinhar sob risco de cair na panela. Ia na feira e trazia um tomate na cabeça, como uma trouxa.Um aspargo debaixo do braço. Para costurar os botões na camisa do marido, tinha que segurar a agulha com as duas mãos. Os amigos, estranhando que não eram mais convidados para visitar a casa deles, perguntavam:
              _Como vai a mulherzinha?
              E o marido queria briga. Quem é que vocês está chamando de mulherzinha?
              Um dia aconteceu. O marido chegou em casa com uma caixa de bombons para a mulher_ ela levava um dia só para chegar no recheio_ e não a encontrou.Tinha desaparecido. Estava, provavelmente, do tamanho de um cisco. E até hoje o marido anda pela casa na ponta dos pés, cuidando onde pisa, para não pisar na sua mulherzinha.Desconsolado.




Luis Fernando Veríssimo
Comédias da Vida Privada_101 Crônicas escolhidas-Ed.LPM
Pág.116

2 comentários:

lis disse...

Puxa vida ,ele a diminuia tanto q ela sumiu! Acontece por ai com as "Amélias" eu acredito.
Ainda bem que eu sou um mulherão! hehehehe

Graziella disse...

Nossa !!!
Que historia fantastica...
Impressionante....

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...