Já comprou seu livro hoje? Clic aqui!

sábado, 23 de outubro de 2010

Capacidade


               Milton Ericksson é autor de uma terapia que começa a ganhar milhares de adeptos no EUA.Aos doze anos de idade, foi vítima da poliomielite.Dez meses depois de contrair a doença, escutou um médico dizer a seus pais:
               _ Seu filho não passa desta noite.
               Ericksson, logo em seguida, ouviu o choro de sua mãe.
              Quem sabe, se eu passar desta noite, ela talvez não sofra tanto?_ pensou.
              E decidiu não dormir até o dia amanhecer.
              De manhã, gritou para a mãe:
              _ Ei, continuo vivo!
             A alegria em casa foi tanta que , a partir daí, resolveu sempre resistir mais um dia, para adiar o sofrimento dos pais.
             Morreu aos 75 anos, em 1990, deixando uma série de livros importantes sobre a enorme capacidade que o homem possui para vencer suas próprias limitações.




Paulo Coelho
Maktub-Rocco
Pág.165

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

56º Feira do Livro de Porto Alegre!!!!


            Faltam poucos dias para começar a Feira do Livro, amo este evento anual, que reuni leitores, escritores e todos que tem interesse pela cultura.Passear pela Feira, visitar as barracas das livrarias e sebos, sentindo o cheiro dos livros, a emoção de tantas histórias para conhecer!!!É o sabor doce do conhecimento!!!! Claro tomar um sorvete, comer pipoca, visitar o Margs(Museu de  Arte do rio Grande do Sul) e (no meu caso) visitar o setor infantil por último!!!Porque depois os filhos querem ir embora.
           A Feira começa dia 29 de outubro  a 15 de novembro na Praça da Alfândega no centro de Porto Alegre, entrada franca. A feira oferece muitas atrações, autógrafos, cursos, palestras exposiçoes etc...São tantas coisas...




            Este ano o patrono da Feira é Paixão Côrtes, nasceu em Santana do Livramento, em 1927.É agrônomo, folclorista, compositor,radialista e pesquisador da cultura Brasileira.
            Ícone da cultura gaúcha, foi modelo do monumento Laçador, erguido em 1958 o principal símbolo de Porto Alegre.
            Funcionamento das 9:30 na Área infantil e a partir 12:30 na Área adulto.Até as 21hs.
            Localização:
            _Praça da Alfândega
            _Cais do Porto(Avenida Mauá,altura da Praça da Alfândega)
            _Avenida Sepúlvedo
            _Centro Cultural CEEE Érico Verissimo(Rua dos Andradas,1223)
            _Memorial do Rio Grande do Sul(Praça da Alfândega s/n)
            _Santander Cultural (Praça da alfândega s/n)


Mais informações pelo site da feira:
http://www.feiradolivro-poa.com.br/feira.php




Amo a Feira!!!!
Fotos Fonte: www.fotos.terragaucha.com.br


Dicas de Leitura:


Os homens que não amavam as mulheres-Stieg Larsson


É o primeiro de uma trilogia.Intenso,as vezes perturbador, mas uma leitura muito interessante!!


Libertação-Francisco Cândido Xavier-André Luiz


É o sexto da coleção que começa com Nosso Lar.Eu adorei.Mostra uma visão bem diferente da vida espiritual.Vale conferir!!!


Bom Final de Semana à todos!!!! Boa Leitura!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Em cada verso


                     Em cada verso uma certeza
                     Em cada flor rara beleza
                     Transformação em movimento
                     Essa é a minha natureza


                     Em cada ser uma história
                     De guerras, amor ou glória
                     Fábulas, contos e fantasias
                     Recordações de uma memória


                     Em cada lágrima uma saudade
                     Em cada abraço uma amizade
                     Acolhe o outro em seu caminho
                     Demonstração de caridade


                     Em cada brilho uma estrela
                     Em cada alma uma centelha
                     Manifestada em divindade
                     Afeto, amor e cumplicidade


                     Em cada poema um momento
                     Em cada momento uma inspiração
                     Inspiração que surge da alma
                     E se mostra no coração


                     Jonas Rogerio Sanches


Fonte:www.trilhasdeluz.blogspot.com


Obrigada amigo e convidado!!!!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

A cumbuca de ouro


            Eram dois vizinhos, um rico e outro pobre, viviam turrando.O gosto do rico era pregar peças no pobre.
            Certa vez o pobre foi à casa do rico propor um negócio.Queria que ele lhe arrendasse um pedaço de terra que servisse para a plantação duma roça de milho.O rico imediatamente pensou num pedaço de terra que não valia coisa nenhuma, tão ruim que nem formiga dava.Fez-se o negócio.
            O pobre voltou para sua choupana e foi com a mulher ver a tal terra. Lá chegados, descobriram uma cumbuca.
            _ Chi, mulher, esta cumbuca está cheia de moedas, venha ver!
            _ É de ouro!_disse a mulher._Estamos arrumados!...
            _ Não_ disse o marido, que era homem de muita honestidade._ A cumbuca não está em terra minha e portanto não me pertence.Meu dever é dar conta de tudo ao dono da propriedade.
            E foi ter com o rico, ao qual contou tudo.
            _ Bem_disse este_ nesse caso desmancho o negócio feito.Não posso arrendar terras que dão cumbucas de ouro.
           O pobre voltou para sua choupana, e o rico foi correndo tomar posse da grande riqueza. Mas quando chegou lá só viu uma coisa:uma cumbuca cheia de vespas das mais terríveis.
            _ Ah!_ exclamou._ aquele patife quis mangar comigo, mas vou pregar-lhe uma peça.
            Botou a cumbuca de vespas num saco e encaminhou-se para a choupana do pobre.
            _ Ó compadre, feche a porta e deixe só a janela aberta.Tenho um lindo presente para você.
            O pobre fechou a porta, deixando só meia janela aberta.O rico, então, jogou lá dentro a cumbuca de vespas.
           _ Aí tem compadre, a cumbuca de moedas que você achou em minhas terras. Regale-se com o grande tesouro_ e ficou a rir de não poder mais.
            Mas assim que a cumbuca caiu no chão, as vespas se transformaram em moedas de ouro, que rolaram.
            Lá fora o rico ouviu o barulhinho e desconfiou. E disse:
            _ Compadre, abra a porta, quero ver uma coisa.
            Mas o pobre responde:
            _ Não caia nessa.estou aqui que nem sei o que fazer com tantas vespas em cima. Não quero que elas ferrem o meu bom vizinho.Fuja, compadre!...
             E foi assim que o pobre ficou rico e o rico ficou ridículo.


            Monteiro Lobato


Fonte:O livro das virtudes-William J. bennett
pág.387- Honestidade

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Sentido da Vida


             " Não acrediteis numa coisa apenas por ouvir dizer. Não acrediteis na fé das tradições só porque foram transmitidas por longas gerações. Não acrediteis numa coisa só porque é dita e repetida por muita gente. Não acrediteis numa coisa só pelo testemunho de um sábio antigo. Não acrediteis numa coisa só porque as probabilidades a favorecem ou porque um  hábito nos leva a tê-la por verdadeira. Não acrediteis no que imaginastes, pensando que um ser superior a revelou. Não acrediteis em coisa alguma apenas pela autoridade dos mais velhos, ou dos vossos instrutores. Mas, aquilo que por vós mesmos experimentastes, provastes e reconhecestes verdadeiro, aquilo que corresponde ao vosso bem e ao bem dos outros- isso deveis acreditar, e por isso moldar a vossa conduta."


               Buda


Fonte:www.osentidodavida.com.br

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Música:Índio

Letra: Índios


               Quem me dera 
               Ao menos uma vez
               Ter de volta todo ouro
               Que entreguei a quem
               Conseguiu me convencer
               Que era prova de amizade
               Se alguém levasse embora 
               Até o que eu não tinha


               Quem me dera
               Ao menos uma vez
               Esquecer que acreditei 
               Que era por brincadeira
               Que se cortava sempre
               Um pano de chão
               De linho nobre e pura seda  


               Quem me dera 
               Ao menos uma vez
               Explicar o que ninguém
               Consegue entender  
               Que o que aconteceu
               Ainda está por vir
               E o futuro não é mais
               Como era antigamente


               Quem me dera
               Ao menos uma vez
               Provar que quem tem mais
               Do que precisa ter
               Quase sempre se convence
               Que não tem o bastante
               Fala demais
               Por não ter nada a dizer


               Quem me dera
               Ao menos uma vez
               Que o mais simples fosse visto
               Como o mais importante
               Mas nos deram espelhos
               E vimos um mundo doente


               Quem me dera
               Ao menos uma vez
               Entender como um só Deus
               Ao mesmo tempo é três
               Esse mesmo Deus
               Foi morto por vocês
               Sua maldade, então
               Deixaram Deus tão triste


              Eu quis perigo
              E até sangrei sozinho
              Entenda!
              Assim pude trazer
              Você de volta pra mim
              Quando descobri
              Que é sempre só você
              Que me entende
              Do inicio ao fim


              E é só você quem tem
              A cura pro meu vício
              De insistir nessa saudade
              Que eu sinto
              De tudo que eu ainda não vi


              Quem me dera
              Ao menos uma vez
              Acreditar por um instante
              Em tudo que existe
              E acreditar
              Que o mundo é perfeito
              Que todas as pessoas
              São felizes...


             Quem me dera 
             Ao menos uma vez
             Fazer com que o mundo
             Saiba que o seu nome
             Está em tudo e mesmo assim
             Ninguém lhe diz 
             Ao menos, obrigado.


            Quem me dera
            Ao menos uma vez
            Como a mais bela tribo
            Dos mais belos índios
            Não ser atacado
            Por ser inocente


            Eu quis o perigo
            E até sangrei sozinho
            Entenda!
            Assim pude trazer 
            Você de volta pra mim
            Quando descobri
            Que é sempre só você
            Que me entende
            Do inicio ao fim
             
            E é só você tem 
            A cura pro meu vício
            De insistir nessa saudade
            Que eu sinto
            De tudo que eu ainda não vi


            Nos deram espelhos
            E vimos um mundo doente
            Tentei chorar mais não consegui...


Composição:Renato Russo
Fonte:letras.terra.com.br

domingo, 17 de outubro de 2010

A pedra


         
             O distraído nela tropeçou...
             O bruto usou como projétil.
             O empreendedor, usando-a construiu.
             O camponês, cansado da lida, dela fez assento.
             Para meninos, foi brinquedo.
             Drummond a poetizou.
             Já Davi,matou Golias, e Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura...
             E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!
             Não existe "pedra" no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento.
             Independente do tamanho das pedras, no decorrer da sua vida, não existirá uma, que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento espiritual.
            Quanto a sua pedra atual, tenho certeza que Deus irá te dar sabedoria ,para mais tarde você olhar para ela, e ter orgulho da maravilhosa experiência que causou em sua vida, no seu crescimento espiritual.
            Abençoado dia para você!!!


            Autor Desconhecido.
Fonte:mensagenscomamor.com
            

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...