Já comprou seu livro hoje? Clic aqui!

sábado, 28 de maio de 2011

O Presente não Existe


           Não é extraordinário pensar que dos três tempos em que dividimos o tempo- o passado, o presente e o futuro-, o mais difícil, o mais inapreensível, seja o presente? O presente é tão incompreensível como o ponto, pois, se o imaginamos em extensão, não existe; temos que imaginar que o presente aparente viria a ser um pouco aparente viria a ser um pouco o passado e um pouco o futuro. Ou seja, sentimos a passagem do tempo. Quando me refiro à passagem do tempo, falo de uma coisa que todos nós sentimos.Se falo do presente, pelo contrário, estarei falando de uma entidade abstrata. O presente não é um dado imediato da consciência. Sentimo-no deslizar pelo tempo, isto é, podemos pensar que passamos do futuro para o passado, ou do passado para o futuro, mas não há um momento em que possamos dizer ao tempo:"Detém-te!És tão belo...!",Como dizia Goethe. O presente não se detém.
Não poderíamos imaginar um presente puro; seria nulo.O presente contém sempre uma partícula de futuro, e parece que isso é necessário ao tempo.

       Jorge Luís Borges, in "Ensaio:O Tempo"
Fonte:citador.pt

18 comentários:

Eliete disse...

Bom dia, amiga! que saudades deste cantinho tão gostoso. Agora estou de novo com o meu presente mais organizado.bjs

✿ chica disse...

Que lindo,Vivian...Bem reflexivo como tudo de Borges !Que teu fds seja legal e o tempo colabore!

beijos,chica

isa disse...

Que agradável é vir aqui e ler tuas
escolhas!
Sabes,linda,quando era pequenita,
nem imaginas a confusão que me fazia
esta ideia:
Passado
Presente
Futuro.
Mt interessantes as palavras de Borges.
FDS iluminado.
Beijo.
isa.

Carla Fernanda disse...

Bom dia Vivian!
Obrigada pelo lindo presente que nos trouxe hoje nesse ponto de referência tão fugidio e eterno representado nesse belíssimo texto.
Isso mesmo! Então, já que não possuinos, deixemos que as coisas passem por nós buscando o que de belo e eterno teremos para dar.
Beijos,
Carla

Elsy Myrian disse...

Logo de manhã bem cedo, ler um texto que nos leva a refletir faz um bem enorme a alma, eu não consigo compartimentar o tempo, sou atemporal e as vezes não me dou conta em que época estou. Mas isso não atrapalha a minha organização rotineira. Bjus Vivian e muita paz no seu coração.

Everson Russo disse...

Nunca tinha pensado com o presente sendo um meio termo do passado e do futuro,,,mas na verdade é,,,somos um pouco do que ja passou e um pouco do que ainda queremos ser,,,,faz sentido,,,beijos de bom sabado pra ti...


p.s respondendo sua pergunta, seus seguidores voltaram...rs..rs...ontem os meus tambem nãoe stavam lá,,,recebi alguns emails de amigos questionando, e uma amiga me disse que entrou num forum do blogger, e mais uma vez estãoc com problemas,,,olha,,,sinceramente, eu to começando a achar que uma hora dessas vamos ficar sem blog definitivamente....super beijo pra ti...

flor de jasmim disse...

Vivian querida
Adorei!!! Belissimo este texto de Borges que nos ofereces, muito bom para refectir, sabes amiga por tudo o que já passei na vida infelizmente ensinou-me a viver um dia de cada vez, mas como é possivel como mãe e avó não pensar e me preocupar com o futuro, vivendo-se a crise que se instalou em Portugal.
beijinho amiga bfs

P.S. Os botins nº 44 são do meu marido.

Mariz disse...

Ótima reflexão Vivian, no presente construímos o futuro.


beijos de bom dia...Mariz

Anne Lieri disse...

Vivian,realmente o tempo é um assunto que nos deixa maluquinhos!Mensagem bastante reflexiva!Obrigada por postar meu livro por aqui!Bjs,

Tunin disse...

Muito bom, poeta! Reflexão dez! O presente nos alerta o viver futuro. Abração.

Nanda disse...

Ei querida,

Ótimo texto para reflexão. ^^

Ótimo final de semana para vc, divirta-se com o Eric rsrsrs, ele é o melhor da séire da Charlaine hehe

bjoo

Lis disse...

Uma boa reflexao Vivian
Pensamos muito no futuro incognito , sem nos dar conta que aqui hoje é o futuro que antes pensávamos rs
meio confuso a ideia dos tres tempos.
Enfim , bom é ver bem o presente, o agora.
beijinhos amiga

Manuel disse...

É verdade mas é impensável esquecer o passado.
O presente, tantas vezes, é um reflexo de um passado que muitos querem esquecer.
Mas esquecer não é possível.

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog rosa solidão. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs

Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.

Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

VÉU DE MAYA disse...

Oi, Vivian!

Mas quando o esteta Fausto de Goethe diz:detém-te ó momento!
Apreende toda a riqueza vital do tempo.
Na sua forma abstrata, o presente seria apenas um nada entre dois nadas: o passado que já foi e o futuro que ainda não é...mas no tempo real e vital, em cada instante vibra tudo o que já foi e tudo o que ainda não vibrou no infinitamente grande e no infinitamente pequeno, no bem e no mal...Daí a importãncia da cultura, da arte, e dos grandes momentos na vida das comunidades e das pessoas ...obrigado por compartilhar este texto cheio de sabedoria do Jorge Luís Borges.
A blogosfera anda um pouco caótica...vamos esperar que surja uma nova configuração ou que pelo menos se recupere a anterior...

abraço carinhoso,

Véu de Maya

Manuel disse...

Se pode publicar? Oh amiga isso só me lisonjeia.
A poesia é sua.

Calu disse...

A pena Borgiana reveladora, sempre nos impacta com o inusitado, o impensado cotidiano;em sua existência, simples, mas em sua essência, complexo.
Gosto de falar, ler, saber, contar e conhecer sobre o Tempo!!
Gosti demais de tua escolha, Vivian.
Mil bjkas,
Calu

Aleatoriamente disse...

Com certeza uma reflexão primorosa.
Amei ler.
Bom domingo querida.

Beijinho
Fernanda

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...